Você satisfaz tudo o que os outros querem? Veja o que está ensinando à eles…

“Eu não entendo, eu faço TUDO que ela me pede, mas mesmo assim, parece que nunca está satisfeito!”

Quantas vezes essa frase é corriqueira no seu dia-a-dia? Seja você dizendo ou seja você escutando?

Imagine que você está cuidando de uma criança de 2 anos de idade (se você já é pai/tio ou já cuidou de uma delas, ficará mais fácil de imaginar). Essa criança vai querer colocar o dedo na tomada, ela vai querer brincar com facas, ela vai querer comer sobremesa antes do almoço, ela vai querer um monte de brinquedo, vai querer tomar bastante refrigerante… Bom, você pegou a ideia. Ela vai QUERER muitas coisas, mais do que é saudável para ela (tanto na alimentação, como brincar com coisas perigosas). E você permitirá? Você satisfaria todas as vontades dessa criança?

Certamente que não! Você sabe que não vai ser bom para ela. E quando você nega ou impede que ela faça, o que a criança faz? Birra, choro, esperneia… Nesse momento, você tem uma escolha importante a ser feita: ou você mantém a decisão anterior e deixa ela chorar por um período de tempo, ou você se sente mal, busca conversar com ela (apesar de ela estar em um estado completamente emocional), se sente mais mal ainda e, acaba cedendo.

Pronto, você acabou de ensinar uma valiosa lição para ela, qualquer que seja a sua alternativa.

  1. Ou você ensinou para ela que há limites, que ele deve respeitar a opinião dos outros, mesmo quando ela estiver desejando muito algo 
  2. Ou você ensinou que se algum problema aparecer, se algum obstáculo ou alguém impedir ela de querer aquilo que ela deseja no imediato, basta ela chorar ou fazer birra ou brigar, para conseguir o que quer.

De 0 a 2 anos é o período em que formam as nossas crenças mais profundas! São os grandes aprendizados que a criança irá ter para lidar com todos os desafios que ela terá ao longo da sua vida! 

Amar é cuidar, e tomar conta da pessoa, é querer o bem dela, zelar pelo bem estar físico e mental da pessoa. Logo, se você quer que essa criança consiga lidar com os desafios da vida dela da melhor maneira possível, sabe que ela terá que respeitar os limites das pessoas e dos cenários ao redor dela.

Mas essa percepção também pode ser realizada com o seu namorado/a, pai, mãe, colega de trabalho. 

Como dissemos nesse artigo , nós temos a capacidade de alterar a estrutura cerebral, graças à Neurplasticidade. De 0 a 2 anos, é onde essa habilidade está mais ativa: temos uma capacidade imensa de absorver os estímulos e aprender com as nossas vivências. E levamos esses aprendizados para o resto da sua vida.

Ou seja, se o seu pai ou colega de trabalho aprendeu na infância que se ele chorar ou reclamar, ou brigar, ele tem o que ele quiser (no curto prazo), ela fará chantagens emocionais, arrumará confusões, etc. para conseguir o que deseja, mesmo que aquilo seja ruim para o relacionamento de vocês no médio e longo prazo… 

Nesse momento, você tem 2 opções. Ou você mantém a decisão anterior e deixa ela chorar por um período de tempo, ou você se sente mal, busca conversar com ela (apesar de ela estar em um estado completamente emocional), se sente mais mal ainda e, acaba cedendo.

E caso você opte pela 2ª, estará reforçando para ele(a) que basta chorar/brigar para conseguir o que se quiser…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir para o topo
Feito por: Lema Criações