A capacidade de adaptação do nosso cérebro

Qual a importância da neuroplasticidade?

A importância da neuroplasticidade é que ela permite que o cérebro se adapte a diferentes circunstâncias, principalmente quando ocorrem lesões.

Por exemplo: se uma pessoa perde a visão devido a uma doença, ela precisa se adaptar à sua nova realidade. Então, a neuroplasticidade faz com que o cérebro desenvolva ainda mais o tato e a audição, de maneira a compensar a perda da visão.

Ela também é importante para a aprendizagem durante a infância, como já mencionamos. É por meio dela que as crianças aprendem não só fatores biológicos, como caminhar e falar, mas também sociais, como convivência com outras pessoas e percepção de emoções.

Em um texto para a revista Forbes, a neurocientista Tara Swart resume a importância dessa capacidade cerebral. “Encorajar a neuroplasticidade do cérebro é a chave para uma aprendizagem e inteligência emocional na fase adulta, o que o ajuda a permanecer mais aberto, intuitivo e capaz de superar preconceitos”, diz a especialista.

O que é neuroplasticidade?

Neuroplasticidade, também conhecida como plasticidade neuronal, é a capacidade de o cérebro se adaptar a mudanças por meio do sistema nervoso.

Trata-se da habilidade do cérebro de reorganizar os neurônios e os circuitos neurais, moldando-se a níveis estruturais por meio de aprendizagem e vivências. A neuroplasticidade permite que os neurônios se regenerem e que sejam criadas conexões sinápticas – meios de comunicação entre os neurônios. De forma simples: a neuroplasticidade é o que permite que o cérebro seja adaptável a mudanças, atuando de forma maleável.

Para compreender melhor, imagine que o cérebro funciona por meio dos neurônios que percorrem diversos caminhos. Esses caminhos seguem padrões, que podem ser alterados com a neuroplasticidade. Essa remodelagem é feita por meio de um trabalho que envolve pensamentos, vivências, emoções, comportamentos, necessidades pessoais e mesmo o ambiente no qual o indivíduo está inserido.

Por meio desses fatores, a plasticidade permite que novas ligações entre os neurônios (as sinapses) sejam estabelecidas, alterando completamente a rede de conexões.Essa capacidade é de extrema importância para a adaptação de pacientes com lesões físicas ou cerebrais.

Conceito

De acordo com o teórico C. H. Phelps, a plasticidade neural é uma mudança adaptativa na estrutura e nas funções do sistema nervoso.

“Ocorre em qualquer estágio da ontogenia, como função de interações com o ambiente interno ou externo ou, ainda, como resultado de injúrias, de traumatismos ou de lesões que afetam o ambiente neural”, segundo ele.

Quando a neuroplasticidade entra em ação?

A neuroplasticidade se dá principalmente na infância, fase em que as crianças adquirem novos conhecimentos e comportamentos sociais de forma constante. Mas ela também ocorre na fase adulta, de modo que os indivíduos se adaptem às suas necessidades. É um processo diário e natural do corpo humano. Mas, na vida adulta, ele entra em ação principalmente quando o indivíduo sofre lesões físicas ou cerebrais. Problemas como derrames, traumas e acidente vascular cerebral (AVC), por exemplo, estimulam a neuroplasticidade. Contudo, ela também é promovida por meio de novos aprendizados realizados pelo indivíduo, como aprender um novo idioma e tocar instrumentos musicais, por exemplo.

Como o Sistema Nervoso funciona?

O sistema nervoso funciona por meio de dois conjuntos: o Sistema Nervoso Central (SNC) e o Sistema Nervoso Periférico (SNP).

O SNC é formado por duas partes: o encéfalo (que abrange cérebro, cerebelo e tronco encefálico) e a medula espinhal. Essa estrutura possui milhões de neurônios.

Já o SNP é formado pelo sistema nervoso que está fora do cérebro e da medula, sendo capaz de se comunicar com o restante do corpo. Basicamente, o SNP abrange os nervos, que se ramificam a partir do SNC. É através dessa estrutura complexa que o sistema nervoso permite ao corpo humano responder a diferentes tipos de estímulos. Por exemplo: se uma das suas mãos coça, o SNP levará a informação até o SNC por meio das conexões entre os neurônios.

Isso fará com que, sem pensar, você coce a mão imediatamente. Trata-se de um processo muito rápido, que acontece em milésimos de segundos.

Como usamos nosso cérebro?

O cérebro é a estrutura mais complexa do ser humano. Nós o utilizamos de forma totalmente coordenada e integrada. Esse órgão tem uma infinidade de funções: ouvir, sentir, pensar, respirar, movimentar o corpo. Tudo isso é comandado por ele, sendo que cada uma de suas áreas é responsável por determinadas funções. Entre si, todas as áreas se comunicam, mas quando há lesão ou danos a alguma estrutura, o cérebro se altera pela neuroplasticidade a fim de suprir a necessidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir para o topo
Feito por: Lema Criações